ARS considera auditoria o lar de Reguengos “obscura” e “enganosa”

ARS considera auditoria o lar de Reguengos “obscura” e “enganosa”

Quinta-feira, 20 Agosto 2020
Alentejo

A Administração Regional de Saúde do Alentejo classifica de obscura, tendenciosa e enganosa a auditoria da Ordem dos Médicos ao lar de Reguengos de Monsaraz.
Segundo notícia a estação de televisão SIC Notícias, que teve acesso à pronuncia feita pela ARS à auditoria da Ordem dos Médicos, o organismo presidido por José Robalo considera que este documento teve “como objetivo descredibilizar um trabalho árduo e rigoroso dos profissionais de saúde” e que foi feita por uma médica cuja “atuação viola o princípio da imparcialidade e da isenção” porque pertence ao centro de saúde dos médicos que se recusaram a trabalhar no lar de Reguengos de Monsaraz.
A ARS Alentejo considera “obscura” a metodologia utilizada pela Ordem dos Médicos, “enganosa” por que a visita ao local ocorreu depois do decurso dos acontecimentos e “tendenciosa” porque ouviu, quase exclusivamente, médicos que se recusaram a cumprir os deveres funcionais. De acordo com a estação de televisão, o documento foi remetido para o Ministério Público.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com