Bloco diz que braço de ferro sobre escolas prejudica alunos e famílias

Bloco diz que braço de ferro sobre escolas prejudica alunos e famílias

Quinta-feira, 20 Setembro 2018
Alentejo

O Bloco de Esquerda alerta que o “braço de ferro” entre a Câmara de Évora e o Ministério da Educação sobre as escolas está a “prejudicar muitas centenas de alunos e famílias”.

Em comunicado enviado à DianaFM, o BE de Évora “lamenta profundamente” o adiamento do início do ano letivo nas escolas André de Resende, Conde de Vilalva e Manuel Ferreira Patrício, afetando cerca de 2.000 alunos.

Os bloquistas criticam os sucessivos governos pela “incapacidade” em cumprir com as suas obrigações, no âmbito do contrato de execução na área da educação.

Também lançam “farpas” à gestão CDU da Câmara de Évora por ter recorrido, durante anos, “a contratos emprego inserção e a tarefeiros pagos à hora”.

O Bloco de Esquerda diz que sempre defendeu a denúncia do contrato de execução, mas estranha que a decisão de apresentar a intenção de denúncia tenha sido tomada em reunião de câmara em Julho, já após o fim das aulas do ano letivo transato.

“Esta decisão devia ter sido tomada meses antes, comunicando-se ao Governo a intenção da rescisão do contrato para o fim do ano letivo, dando, assim, tempo útil ao ministério para, querendo, resolver dos problemas existentes”, pode ler-se no comunicado.

Para os bloquistas, o presidente da Câmara de Évora deve dar explicações sobre a versão da tutela de que terá apenas recebido a notificação da intenção da rescisão do contrato de execução a menos de uma semana do início do ano letivo.

O Bloco exige que quem partilhou responsabilidades na gestão dos assistentes operacionais nas escolas resolva de imediato esta situação, respeitando os direitos fundamentais de alunos e trabalhadores.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com