Caso das acessibilidades do novo hospital pode chegar a tribunal

Caso das acessibilidades do novo hospital pode chegar a tribunal

Sexta-feira, 28 Fevereiro 2020
Alentejo

O deputado do PS Capoulas Santos admite que sejam os tribunais a decidir se é válido o acordo entre o Governo e a Câmara de Évora em que o município assume as responsabilidades pelos acessos e infraestruturas do novo hospital.

“Seria o mais completo absurdo que, depois de tanta luta, durante tanto tempo, o hospital fosse construído e impedido de funcionar por esta questão ficar pendente de uma inevitável disputa judicial, com prejuízo para uma vasta população que há décadas aspira por esta concretização”, escreve o parlamentar socialista nas redes sociais.

Numa publicação a que dá o título de “Surreal”, Capoulas Santos realça que “existe um contrato escrito estabelecido entre o Governo e a Câmara de Évora”, segundo o qual “o Governo assume a responsabilidade de construir o novo hospital” e o município “as respetivas acessibilidades”.

“O Governo cumpriu a sua parte, disponibilizou o terreno, garantiu os 180 milhões de euros de financiamento, mandou executar o projeto, lançou o concurso para a adjudicação da obra e está prestes a proceder à adjudicação da empreitada, prevista para junho deste ano”, refere.

O deputado socialista acusa a Câmara de Évora de só agora “ter acordado da longa hibernação em que esteve mergulhada sobre esta questão” e de estar a apelar ao Governo para que “faça aquilo com que se comprometeu” e que é da “sua inteira e exclusiva responsabilidade executar”.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com