Cavaco Silva afasta cenário de um segundo resgate

Cavaco Silva afasta cenário de um segundo resgate

Quinta-feira, 02 Janeiro 2014
Nacional

O Presidente da República considerou na sua mensagem de ano novo que “há razões para crer que Portugal não necessitará de um segundo resgate”.

Contudo, admitiu que um “programa cautelar é uma realidade diferente”.

“Há razões para crer que Portugal não necessitará de um segundo resgate. Um programa cautelar é uma realidade diferente. Temos razões para contar com o apoio dos nossos parceiros europeus no acesso aos mercados financeiros”, defendeu.

Cavaco Silva destacou que em maio chega ao fim o Programa de Assistência Financeira e que o acesso aos mercados de financiamento externo, “a taxas de juro razoáveis, exige que a conclusão do programa seja feita com sucesso”.

“Este é um objetivo fulcral, que tem no Orçamento de Estado para 2014 um instrumento da maior relevância”, disse.

Para Cavaco Silva, um segundo resgate “significaria a continuação da política de austeridade e a deterioração da credibilidade e da imagem de Portugal” e haveria um risco elevado de o país regredir para uma “situação mais gravosa”.

O Presidente da República considerou que existem “sinais que permitem encarar 2014 com mais esperança”, apontando que Portugal “saiu da recessão em que estava mergulhado desde 2010” e que a “produção nacional cresceu no segundo e no terceiro trimestres” e ainda que “o desemprego diminuiu”.

Cavaco Silva advertiu que “não é ainda possível afirmar que as dificuldades estejam ultrapassadas”, considerando “fundamental” que em 2014 “a ação dos agentes políticos e as políticas públicas sejam orientadas para a consolidação dos sinais de recuperação económica e para o reforço do clima de confiança”.

Deixe uma resposta

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com