Companhia de Évora sem apoio da Linha de Emergência ao Setor das Artes

Companhia de Évora sem apoio da Linha de Emergência ao Setor das Artes

Quinta-feira, 21 Maio 2020
Alentejo

A companhia A Bruxa Teatro, de Évora, não conseguiu obter apoio da Linha de Emergência lançada pelo Ministério da Cultura por causa da pandemia da covid-19.

Em declarações à DianaFM, o diretor da Bruxa Teatro, Figueira Cid, lamenta que não tenham sido divulgados os motivos da recusa do apoio financeiro.

“Nós solicitámos 18 mil euros para fazer subir as taxas dos atores, sobretudo isso, porque são sempre os mais mal pagos. Têm trabalho hoje, amanhã não têm”, afirmou.

“Só recebemos a informação de que não iríamos ser contemplados. Mais nada, critério nenhum, não se sabe porquê nem porque não”, acrescentou.

Figueira Cid mostra-se chocado por também não terem sido divulgadas as estruturas que foram contempladas pelos apoios do Estado.

“Sendo dinheiro públicos, os governantes têm obrigação de divulgar os apoios que são fornecidos seja a quem for”, defendeu.

O também ator e encenador disse que há suspeitas de existirem estruturas que estão a acumular apoios, considerando que o Ministério da Cultura devia publicar os resultados do concurso.

O Ministério da Cultura divulgou que a Linha de Apoio de Emergência ao Setor das Artes, com uma dotação de 1,7 milhões de euros, vai apoiar 311 projetos, em 1.025 pedidos recebidos.

A Bruxa Teatro conta com o apoio da Câmara de Évora até final do ano, pelo que vai avançar com novas produções.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com