1426 – Cobrar dívidas?

Crónica GARE
Quinta-feira, 30 Maio 2019
1426 – Cobrar dívidas?
  • Na Estrada em Segurança

 

A propósito das não existência de quaisquer iniciativas das entidades oficiais, com responsabilidades declaradas por força de diversa documentação legal, para a diminuição da sinistralidade rodoviária em Portugal, qual não é o nosso espanto, e o do país inteiro, quando de repente, a Autoridade Tributária e Aduaneira tenta desviar a Guarda Nacional Republicana de uma das suas mais nobres missões, a segurança rodoviária, para a caça aos cidadãos com pequenas dívidas ao estado e à segurança social, porque os grandes devedores, esses não se deixam apanhar desta forma.

Felizmente que isto durou poucas horas, porque alguém percebeu o disparate tão grande que estava a ser feito, e ordenou que a operação fosse imediatamente cancelada.
Se aumentassem o número de efetivos da GNR e da PSP para estarem  na estrada a fiscalizar o cumprimento do código da estrada, do excesso de velocidade, da condução com álcool ou com drogas, da utilização de telemóveis, das regulares inspeções dos veículos, da verificação das licenças de condução e das apólices de seguro, da correta instalação das crianças nas cadeirinhas, do funcionamento dos cintos de segurança e luzes, isso sim, estávamos a trabalhar para salvar vidas.
Devia até haver um corpo especial que inspecionasse as nossas estradas e obrigasse as Infraestruturas de Portugal e as Autarquias a pintar a sinalização horizontal que não existe ou que não se vê, a arranjar os buracos das estradas, a limpar as areias e o lixo das estradas e das bermas. Isso sim, era importante para salvar vidas.
As dívidas são outra história, mas que não valem uma vida

 

Até amanhã