1487 – Custos da sinistralidade

Crónica GARE
Quinta-feira, 07 Novembro 2019
1487 – Custos da sinistralidade
  • Na Estrada em Segurança

 

Quando estamos a poucos dias de voltar a celebrar o Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada, um pouco por todo o país, sendo a celebração nacional novamente em Évora, não podemos deixar de ir espreitar as estatísticas da sinistralidade rodoviária que a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária vem mantendo no seu site.
E aquilo que vamos vendo não são apenas números de acidentes, de vítimas mortais, de feridos graves e feridos ligeiros.
Aquilo que vemos são milhares de pessoas destroçadas pela morte de familiares ou amigos, por todo o país.
Muitos fazem perguntas mas não aparece ninguém para dar explicações ou apontar soluções.
Parece que foi proibido falar daquilo que nos afeta e nos modifica a vida para sempre.
Não se fala e não se escreve. Li o programa de governo e não encontrei uma palavra sobre segurança rodoviária. E na discussão do programa parece que também ninguém sentiu necessidade de falar em salvar vidas
Hoje fala-se apenas de mobilidade porque isso pode ter relação com o ambiente e falar de ambiente está na moda. Mas a sinistralidade rodoviária não é amiga do ambiente.
Em Portugal, fala-se e muito de economia mas ninguém vem à televisão dizer quanto custaram as 675 vítimas mortais, os 1 995 feridos graves e os 41 335 feridos leves que aconteceram em 2018.
Alguém sabe responder?

Até amanhã!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com