A Feira de S. João

Segunda-feira, 23 Maio 2022
A Feira de S. João

 

Finalmente, depois de dois anos em que por causa da Covid 19 não se realizou, este ano regressa a Feira de S. João e quem passa pelo Rossio já pode ver alguns preparativos a serem feitos. A usual “escada” que liga o Jardim Público ao Rossio estava já montada.

A Feira é um momento importante para a cidade e o concelho, mesmo quem diz que não gosta de ir à feira não lhe fica indiferente. E por isso concita tanto debate e tão apaixonadas opiniões.

Desde há décadas que o futuro da Feira tem vindo a ser objecto de grandes polémicas, a primeira das quais tem a ver com a localização: Deve a Feira de S. João manter-se no Rossio e eventualmente alarga-se para áreas adjacentes pertencentes a entidades públicas? ou deve a cidade ter um parque de feiras, numa periferia, e lá realizar a feira?

Eu sou de opinião que tirar a feira do Rossio é matá-la, como aconteceu aliás noutras cidades que deslocalizaram as suas feiras, mas porque a Câmara Municipal tem no seu plano de actividades deste ano a realização do estudo para um Parque de Feiras, não teria sido importante saber antes o que é que os Munícipes pensam e querem relativamente à sua Feira de S. João?

E esta não é a única questão que tem sido suscitada: Deve ser uma feira tradicional, que junte o divertimento à mostra das actividades económicas do concelho e mostra institucional ou deve especializar-se, ou seja, deve ser uma feira dedicada a um sector da economia, como por exemplo a Ovibeja? E se sim qual? A agricultura? A aeronáutica? E como combater o gradual empobrecimento da oferta de diversão e do comércio? Só com o reforço das tasquinhas?
Deve a Feira reforçar a componente cultural e de entretenimento?

Estas e outras questões são a cada ano suscitadas sistematicamente por muitos de nós, mas o debate em que toda a gente possa participa, um debate que envolva as empresas e os cidadãos, esse continua a não existir. E não é por falta de promessas.

Desde 2013 que a CDU se apresentou aos munícipes com a proposta de realização de um amplo debate sobre a Feira e o seu futuro, mas chegada ao poder nos órgãos autárquicos, cedo esqueceu este compromisso, sempre com justificações esfarrapadas. Certo é que a Câmara Municipal não promoveu esse debate e a feira lá foi se realizando com o modelo do costume.

Como também não promoveu esse debate no mandato seguinte, apesar de também na campanha eleitoral em 2017 a CDU se ter comprometido a fazê-lo.

Aqui chegados, a Câmara Municipal tornou a não fazer este debate essencial, preferindo mais uma vez, organizar a Feira de S. João de costas voltadas para a opinião das pessoas sobre um tema que, como sabemos, todos os munícipes têm opinião.

E os dois anos em que a Feira não se realizou por causa da pandemia de Covid 19 deveriam ter sido aproveitados para ouvir as e os munícipes e para dar novo folego à Feira de S. João, melhorando as suas infra-estruturas no local que desde sempre foi o grande terreiro das feiras da Cidade, o Rossio de S. Brás, e reforçar o carácter identitário da Feira, tornando-a também um amplo espaço de participação e de cultura.

Em Junho vem a Feira de S. João de que já tínhamos saudades e, claro, fazemos votos para que seja uma boa feira onde possamos passar bons momentos e encontrar os amigos, mas fazemos também votos para que a Câmara Municipal lance finalmente um debate sobre o futuro da Feira, não à porta fechada dos gabinetes mas aberto a todas e todos os munícipes.

Até para a semana!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com