A importância do dia 25 de Abril

Nota à la Minuta
Quarta-feira, 26 Abril 2023
A importância do dia 25 de Abril
  • Alberto Magalhães

 

 

Ontem, passaram 49 anos sobre o 25 de Abril de 1974, data em que ruiu a velha ditadura de direita conhecida por Estado Novo. Durante alguns anos, considerei, com boa parte da esquerda e boa parte da direita, que a celebração do 25 de Abril era, necessariamente, uma coisa de esquerda. Só mais tarde percebi – e muita gente ainda não percebeu – que, tendo gerado o nosso regime democrático e sendo a democracia, no dizer de Jorge de Sena, a arte do diálogo, mesmo entre surdos, não faz sentido atribuir à esquerda o exclusivo do dia da Liberdade. Por isso, discutir Abril, confrontar diferentes visões do 25 de Abril, de forma ritual, é cumprir Abril e lembrar que a democracia vive da convivência pacífica de diversos interesses e opiniões, tornada possível pela aceitação, por quase todos, de regras e procedimentos estabelecidos por leis e costumes.

Por assentar num conjunto de direitos e liberdades individuais e por depender do equilíbrio dinâmico entre grupos com diferentes interesses, a democracia é, por natureza, instável. Daí a importância de momentos de celebração da unidade da nação, na sua diversidade.

A presença do presidente do Brasil na AR, no dia 25 de Abril, fruto de um excesso diplomático do Presidente da República, gerou tensões que deveriam, por isso, ter sido evitadas. Nada justifica, porém, a triste figura que a bancada parlamentar do Chega acabou por fazer. Para quem quer ser tomado a sério e fazer parte de uma solução governativa, os deputados do Chega pareceram-se demais com um grupo de adolescentes rebeldes, a quem só faltou mostrar o rabo ao presidente do Brasil. Ou muito me engano, ou não ganharam grande coisa com o espectáculo. Podem até ter perdido muito.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com