A mui nobre arte de fazer política

Crónica de Opinião
Quarta-feira, 12 Abril 2023
A mui nobre arte de fazer política
  • Maria Paula Pita

 

A TAP foi uma das bandeiras políticas de António Costa. Desde a comparação às caravelas portuguesas que cruzaram os mares e que levaram bem alto o nome de Portugal ao veículo privilegiado de ligação à lusofonia.
A TAP continua a ser uma bandeira do Governo e do PS. Agora como exemplo da mentira, da falta de vergonha, da mediocridade e da completa ausência de sentido de Estado que atravessa os protagonistas de toda esta história. Gente sem escrúpulos que não tem qualquer pudor em mentir na TV, nas Comissões de Inquérito e aos portugueses. Que usam a coisa pública em seu proveito, que esbanjam dinheiro de todos nós, que não têm qualquer pejo em se imiscuir e pressionar empresas em proveito do partido e do governo. Ninguém sabia, ninguém ouviu, todos desconheciam.
Cada vez é mais difícil encontrar gente válida e competente para gerir a coisa pública. Não querem ser comparados (nem sujeitos ao enxovalho) com aqueles dirigentes cujo único critério e competência é terem cartão do partido. Gente que não sabe o que é a ética e a moral. Nem todos, é certo, mas alguns. E esses alguns infetam toda a classe política.
E o PM, mais uma vez, não vê ou não quer ver a gravidade do que se está a passar. Escolher o silêncio é pernicioso para o governo e para a classe política.
A sorte de António Costa é que não há alternativa política. Não há uma oposição credível, à esquerda e à direita. Nenhum dos líderes galvaniza os portugueses. Estamos a viver um período complicado. A incerteza da guerra, os níveis de inflação, exigem estabilidade governativa.
Neste período difícil, só um político se ri. E a continuarem estes desacertos, daqui por três anos rir-se-á ainda mais.
Também é devido a estes desacertos que aumenta a abstenção nas eleições. A população não se revê nesta forma de fazer política.
Também é devido a estes desacertos que surgem novos partidos que vão tendo expressão nas votações.
Também é devido a estes desacertos que surgem movimentos cívicos e políticos a nível local.
Este texto não é sobre a TAP. É sobre o que não deve ser a mui nobre arte de fazer política.

 

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com