A solução Geringonça II

Nota à la Minuta
Segunda-feira, 01 Novembro 2021
A solução Geringonça II
  • Alberto Magalhães

Lembram-se de aqui há dias eu ter citado Paulo Pedroso, que escreveu no seu Facebook que (e cito) “António Costa contrai a obrigação de ganhar as eleições com maioria absoluta ou dar lugar a quem no PS se queira entender com a esquerda”. Ontem, Teresa de Sousa, no Público, tentando perceber os motivos do BE para chumbar, de novo, o OE, punha duas hipóteses: ou o Bloco acreditou até ao fim que o PCP o viabilizava, ou (e cito) “acreditou que uma eventual derrota de Costa abriria mais depressa o caminho à ala esquerda socialista, encabeçada por Pedro Nuno Santos, estendendo a passadeira vermelha que os levaria ao poder?” E avisava: “esse risco existe, embora ténue.”

Ora, o simples enunciar da hipótese de uma Geringonça II, ainda por cima com o alto patrocínio de Pedro Nuno Santos, deixa-me perplexo. Se é verdade que o desconjuntar da Geringonça foi uma derrota política de António Costa, como aliás ele teve a hombridade de reconhecer, não nos devemos esquecer quem foi o Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares do anterior Governo, a alma parteira da Geringonça: precisamente Pedro Nuno Santos que, por isso, é bom de ver, com dificuldade pode deixar a lista dos derrotados e passar a ser considerado a solução de reserva.

A putativa Geringonça II faria tremer as pernas dos banqueiros europeus ou atiraria o PS para o purgatório da radical insignificância?

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com