Sugestões para lidar com a pandemia

Nota à la Minuta
Quarta-feira, 27 Maio 2020
Sugestões para lidar com a pandemia
  • Alberto Magalhães

 

 

A minha costela optimista pede-me que acredite que, com a chegada do Verão, o coronavírus será atirado para as profundas do inferno, donde não regressará. A minha faceta mais realista diz-me que o melhor é não contar com isso e que, até ver, teremos de nos adaptar à sua presença, com base no que temos aprendido acerca dele… e de nós.

Sublinho já, a importância vital de uma comunicação clara e coerente por parte das autoridades sanitárias, dos políticos e dos cientistas, feita de mensagens capazes de ser bem entendidas e, por isso, mais facilmente interiorizadas e geradoras de comportamentos voluntariamente aceites. Sem maus exemplos por parte das lideranças.

Além de mensagens racionais e congruentes sobre formas de transmissão, cuidados higiénicos, distanciamentos e uso de máscaras, seria bom combater, tanto a despreocupação excessiva de quem se acha imune ao vírus (dizendo-lhes que devem agir como se estivessem infectados, para protecção dos que correm maiores riscos), como o medo excessivo dos que poucos riscos correm, mesmo que sejam infectados.

Portanto, em vez da evolução diária dos infectados, mortos e recuperados, as conferências de imprensa diárias deveriam mostrar que nas faixas etárias mais baixas o número de mortes por covid-19 é insignificante; mostrar que, mesmo acima dos 50 anos, as pessoas saudáveis não correm riscos significativos; divulgar até as doenças pré-existentes nas vítimas graves e mortais de covid-19, para que todos percebam quais os grupos que se devem proteger e ser especialmente protegidos (protegidos, mas não confinados por decreto); também seria interessante darem exemplos de manobras de protecção eventualmente já em uso em fábricas, oficinas e comércios, ou sugestões práticas a seguir. E por aqui me fico, hoje.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com