As consequências do marasmo!

Crónica de Opinião
Quarta-feira, 12 Dezembro 2018
As consequências do marasmo!
  • José Policarpo

 

 

A assembleia Municipal de Évora em reunião ordinária realizada na passada sexta-feira dia 7/12, chumbou o orçamento municipal. Votaram contra o orçamento apresentado pela Câmara os deputados municipais do PS, PSD e CDS. Houve, no entanto, uma alteração no sentido de voto do partido socialista relativamente à votação dos seus vereadores. Estes abstiveram-se na votação do orçamento municipal na reunião de câmara convocada para o efeito.

Na verdade, o chumbo do orçamento municipal trará consequências para o executivo camarário, porquanto terá de executar a despesa de acordo com o orçamento de 2018 e em duodécimos. Há, portanto, despesa de investimento projetada para o ano de 2019 que ficará condicionada em virtude deste chumbo e, com isso, a cidade e a população poderão ficar prejudicadas em função da necessidade e bondade dos investimentos em causa.

Porém, o resultado das últimas eleições autárquicas ditou que, a CDU não tivesse a maioria dos deputados, na assembleia municipal. Os eborenses foram soberanos. Por isso, avisadamente, o executivo camarário devia ter tido esta condição presente, e aparentemente, ignorou-a.

Ora, quando a força politica vencedora de uma eleição autárquica não tem a maioria num determinado órgão só lhe resta desenvolver esforços no sentido da obtenção de consensos políticos para poder governar sem sobressaltos. Quanto julgo saber o executivo camarário eborense não desenvolveu quaisquer iniciativas tendes a essa finalidade. Não sei se por sobranceria ou por ingenuidade politica. Será que o Partido Socialista nacional com o fim das negociações do orçamento de Estado colocou fim à geringonça e, com consequências, nas autarquias? Não sei, mas o futuro o dirá.

Seja o que estiver por detrás da não objetivação de negociações para a aprovação do orçamento municipal por parte do Partido Comunista, aquilo que mais me preocupa é a possibilidade do concelho e da cidade de Évora afundarem-se ainda mais no seu desenvolvimento e capacidade de afirmação, tanto nacional, como internacionalmente.