As omissões da edilidade

Crónica de Opinião
Quarta-feira, 24 Março 2021
As omissões da edilidade
  • José Policarpo

 

 

Nas habituais caminhadas que realizo pude constatar que o município de Évora interveio na manutenção da rotunda do “cruzeiro” junto ao bairro do granito no bacelo. A intervenção há muito que era uma necessidade, mas empreitada aí levada a cabo, para um leigo, como eu, parece que foi realizada com pouco cuidado, porque apresenta alguns buracos.

Por isso, o dono da obra, a Câmara Municipal de Évora, deveria exigir ao empreiteiro que retocasse aquilo que, aparentemente, ficou por finalizar.

Também durante uma caminhada constatei que, há uma informação municipal, à entrada do segmento da ecopista que tem início no cruzamento do Sr. dos Aflitos, que informa a proibição de circulação a peões e a ciclistas. Deixo aqui a pergunta ao município: É permitida a utilização da ecopista em toda a sua extensão, ou só em parte?

Na verdade, por inúmeras vezes partilhei com os ouvintes e leitores da radio diana as minhas inquietações em resultado do péssimo estado da rede viária que serve o concelho de Évora. Percebo o argumento da falta de dinheiro para a realização das tão necessárias obras, todavia, não consigo compreender o desleixo que está votada a parte envolvente da nova ciclovia que vai da rotunda de Avis até ao Bacêlo. Cheia de ervas provocando desconforto visual para quem pretende fruir espaços agradáveis como deveria ser o caso.

Em conclusão, há questões que a falta de dinheiro condiciona a manutenção dos equipamentos, como são os exemplos das estradas e das ruas. Mas não me queiram convencer que, a sujidade, a existência de ervas e a falta de manutenção dos espaços verdes não poderá ser resolvida pelos funcionários da câmara municipal. Façam, com efeito, a planificação e a gestão dos recursos existentes, que muitos dos problemas deixarão de o ser.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com