Buraco negro e recurso idiota

Nota à la Minuta
Quinta-feira, 11 Abril 2019
Buraco negro e recurso idiota
  • Alberto Magalhães

 

 

Ontem foi um dia luminoso, por causa de uma fotografia, a primeira de sempre, de um buraco negro. Situado no centro da galáxia Messier 87, a 55 milhões de anos-luz do Sol, com uma massa igual à de 6500 milhões de sóis e um diâmetro de 100 mil milhões de Km, deixou-se fotografar pela acção conjugada de oito telescópios espalhados pela Terra, graças à radiação electromagnética emitida pela espiral de gaz super-quente, a rodar a uma velocidade próxima da da luz, antes de ser engolida pelo buraco negro, que deve este nome ao facto de nem as partículas de luz conseguirem escapar ao seu poder de atracção, decididamente, fatal.

Decididamente idiota, a manobra do advogado Pedro Proença, representando um engenheiro, condenado a oito anos e quatro meses de prisão por ter violado a própria filha, que via duas ou três vezes por ano, depois de a embriagar no jantar do seu 18º aniversário. Alegando que a desembargadora do tribunal da Relação era “mulher e certamente mãe” e, portanto, incapaz de imparcialidade perante um caso de incesto, pediu a sua substituição por um juíz masculino, capaz de enfrentar o assunto com a devida neutralidade. Ensaiando uma espécie de contra-ataque à ideologia de género, viu o Supremo Tribunal considerar o seu argumento sem qualquer fundamento. Este advogado e o seu engenheiro constituem-se, certamente, como parte da minoria de homens que fazem gala em envergonhar todo o sector masculino da humanidade.

Entretanto o Conselho Europeu de ontem decidiu conceder adiamento, ao Brexit é bom de ver, até final de Outubro. É capaz de não chegar.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com