Carnaval: brincas, a tradição que se perde

Crónica de Opinião
Quarta-feira, 07 Fevereiro 2024
Carnaval: brincas, a tradição que se perde
  • Paula Pita

Évora nunca foi dada a corsos carnavalescos como os que se veem nos concelhos vizinhos.
Tenho uma vaga impressão de, na minha infância, haver um desfile de carros alegóricos no Rossio mas perdeu-se no tempo e na memória.
Exclusivo do concelho de Évora são as brincas carnavalescas. É uma tradição de origem popular, dos bairros periféricos da cidade. Apenas há registos no século XIX, talvez porque os participantes não fizessem parte dos notáveis da cidade. No entanto, há quem aponte o século XVIII, ou os autos de Gil Vicente no século XVI ou mesmo as tradições mítico-religiosas ancestrais, como a origem das brincas.
Era uma forma de teatro comunitário, de rua, em que se fazia a crítica social e por isso censurada.
Teve uma forte expressão em Évora, praticada por inúmeros grupos e com forte tradição oral.
No nosso tempo, as brincas continuam a surgir nos bairros periféricos e nas freguesias rurais e, por isso, caracterizadas por uma componente de ruralidade.
Constituídas tradicionalmente por homens que, se fosse necessário, se travestiam (faz lembrar o teatro clássico e as suas máscaras ou a commedia dell’art veneziana) de mulheres. Os grupos tinham cerca de quinze a vinte homens que construíam e organizavam, no período de Carnaval, uma dramatização. Iam soltando décimas de versos rimados, em cadência ritmada, constituindo o Fundamento cujos temas vão da História de Portugal à atualidade, passando pela realidade social alentejana.
Nos últimos tempos, como tudo o que é tradição, foi-se desvanecendo a sua importância, até que em 2024, apenas existem 2 brincas: O Grupo Brincas dos Canaviais e a Escolinha de Brincas da Casa do Povo dos Canaviais, responsáveis por esta manifestação cultural se manter.
Não se compreende porque não se incentiva esta tradição que faz parte do nosso Património Imaterial, junto das associações de bairros. A esperança, do futuro das brincas, está no trabalho que a Escolinha de Brincas dos Canaviais está a desenvolver, para que não fiquem esquecidas no passado e sejam um orgulho para as gerações vindouras.
Se querem ver e apoiar as Brincas podem fazê-lo desde a manhã de 10 de fevereiro (sábado) até 13 de fevereiro (3ªf de Carnaval), conforme a calendarização disponível no site da Câmara.
Mas este ano, a Câmara organizou várias atividades. Para além dos Desfiles de Carnaval das Escolas (dias 8 e 9) das Charangas (dias 10 e 11), a Câmara está a organizar um Baile de Carnaval, na ARENA, no dia 12 de fevereiro, com a Banda Feast e Miguel Azevedo, aberto a todos os eborenses. Haverá lugar a um concurso de máscaras que tem prémios bastantes interessantes. É louvável o incentivo para que se não se perda a folia carnavalesca no concelho.
E já que se menciona o Baile, não se podem esquecer os Bailes e as Festas que acontecem por esses dias em várias associações. Também eles com tradições arreigadas e tão importantes para manter a identidade das corporações, dos bairros e freguesias em que são realizados.

Bom carnaval!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com