Democracia

Crónica de Opinião
Segunda-feira, 09 Janeiro 2023
Democracia
  • Bruno Martins

Caras e caros ouvintes, a minha crónica de hoje será bastante curta e incisiva. Não são precisas muitas palavras para condenar os criminosos que invadiram ontem o Congresso, o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal no Brasil e para demonstrar toda a solidariedade a Lula da Silva, Presidente democraticamente eleito e a todos os brasileiros democratas (a larga maioria felizmente).

Uma invasão muito semelhante à que ocorreu nos Estados Unidos da América há dois anos, quando apoiantes da extrema-direita trumpista invadiram o Capitólio.

O ódio à democracia tem seguidores em todo o mundo e, em Portugal, tem como rosto André Ventura e o seu movimento fascista denominado de “Chega”.

Vivemos tempos muito perigosos e não podemos vacilar nem hesitar na condenação a todos os movimentos de extrema-direita.

Em Portugal, infelizmente, temos normalizado a extrema-direita. Muita gente considera que o ódio, o racismo, a xenofobia e a intolerância estão no domínio da liberdade de expressão. Não estão. Não podem estar no domínio da liberdade e da democracia e é, mais do que tempo, de sermos todos muito claros.

Deixo este desafio em especial a este novo PSD de Luís Montenegro que tem sido ambíguo na análise à extrema-direita portuguesa. Aliás, sempre que questionado, Luís Montenegro nunca negou categoricamente a hipótese de uma futura coligação. Esperemos que este triste exemplo que nos chega do Brasil, dos parceiros fascistas de André Ventura, leve a que Luís Montenegro e o PSD esclareçam o país, de uma vez por todas, se estão do lado da democracia e da liberdade ou se, pela sede de poder, colocam a hipótese de se aliarem à extrema-direita.

Tempos perigosos exigem respostas claras de todos os atores políticos.

Até para a semana!

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com