Eleições brasileiras – primeira volta

Nota à la Minuta
Segunda-feira, 03 Outubro 2022
Eleições brasileiras – primeira volta
  • Alberto Magalhães

Ontem, as eleições no Brasil mostraram mais uma vez que as sondagens já conheceram melhores dias: mostram-se pouco fiáveis e passam por uma crise de credibilidade. Afinal, a diferença superior a dez pontos que muitas, a maioria, mostravam entre Lula (a roçar os 50%) e Bolsonaro (que não chegaria aos 40%), quedou-se em 5 pontos. O resultado de Lula (48% dos votos) dentro do esperado, o resultado de Bolsonaro (43%) bem acima do previsto. De referir que também em número de deputados e senadores o bolsonarismo cresceu mais do que o previsto.

Os brasileiros estão assim condenados a esperar até 30 de Outubro para saber quem será o futuro Presidente. Numa réplica quase perfeita do que se passa nos EUA, o Brasil é hoje um país dividido ao meio por uma parede de ódio que não augura nada de bom. A disputar o poder vemos, de um lado, um populista de extrema-direita, insensível e insensato, do outro lado, um populista da esquerda radical que, enquanto foi Presidente se aproveitou da situação económica favorável herdada do antecessor Fernando Henrique Cardoso, mas não viu, nem cheirou, a corrupção a grassar à sua volta durante anos.

Ou seja, ganhe quem ganhar na 2ª volta, o Brasil encontrar-se-á numa situação de instabilidade perigosa. Apesar de tudo, se eu fosse brasileiro votaria, embora com pouca convicção, em Lula da Silva, ou melhor, votaria, muito convictamente, contra Bolsonaro.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com