Falo das questões, cada vez mais preocupantes da nossa cidade a vários níveis.

Crónica de Opinião
Terça-feira, 21 Maio 2024
Falo das questões, cada vez mais preocupantes da nossa cidade a vários níveis.
  • Ananias Quintano

Cumprimento o auditório da Diana FM

Embora o retrato do que se passa no mundo que, ao contrário do que muitos pensam, está bem perto de nós, as minhas preocupações também se prendem, e muito, com o que se passa aqui no nosso território. Falo das questões, cada vez mais preocupantes da nossa cidade a vários níveis.
Várias vezes quer na Assembleia Municipal, quer em reuniões entre a câmara municipal e a junta a que presido, levantámos aos senhores presidente e vice-presidente da câmara as questões que nos preocupam e que os moradores da freguesia nos fazem chegar, e que são por nós consideradas alarmantes. Estas preocupações também foram transmitidas ao senhor comandante da PSP.
São fundamentalmente três os focos da nossa preocupação. Os acampamentos ilegais, a ocupação ilegal dos espaços públicos e o arrendamento de garagens, espaços supostamente para comércio e até de habitações onde coabitam 8 ou 10 pessoas, imigrantes, a pagar individualmente cerca de 200€. Que belo negócio para alguns e que enorme exploração para outros.
Até agora nada tem sido feito e como todos sabemos a impunidade leva a que cada vez mais se abuse.
Quanto aos acampamentos ilegais eles cada vez são mais e as queixas também, pois os roubos nas zonas circundantes coincidem com a localização desses acampamentos.
Quanto à ocupação ilegal dos espaços públicos, são situações bem localizadas e que até agora a Habévora, proprietária de muitas das casas em que foram efetuadas obras ilegais, nada faz.
O alugar de espaços sem o mínimo de condições em vários locais e o aluguer de T3 e T4 na Tapada, em que há proprietários que saem para alugar a sua casa e outros que as querem vender porque o seu bairro mudou radicalmente, há de tudo.
Sabemos que são situações complicadas que não são fáceis de resolver mas que alguém terá que ter força e meios para as enfrentar. As questão que falamos são as da etnia cigana, da imigração e da exploração de pessoas que não são uma questão local mas nacional.
Temos todo o respeito pelas etnias desde que respeitem os nossos valores, precisamos de imigrantes e, por isso, devem ser tratados com dignidade e legalizados para evitar a sua exploração pelas máfias, no entanto, é nossa obrigação tentar resolver o que está ao nosso alcance em termos locais para algum bem estar dos nossos moradores.
No nosso território tudo está localizado, falta uma intervenção de quem pode e deve fazê-lo. Se assim não for a situação de insegurança que já vivemos na cidade irá agravar-se rapidamente.

Permitam-me apenas um desabafo sobre outra questão que já aqui abordei, as eleições europeias. Não tenho palavras para descrever o que vi, através dos meios de comunicação social, ontem em Madrid num tal encontro promovido pelo Vox, partido da extrema direita espanhola.
É de arrepiar a falta de ideias nas intervenções e mais arrepiante ainda o facto de poder vir a ter um Parlamento Europeu com uma maioria anti europeísta e transformado numa arena, como faz o Chega na nossa Assembleia da República.
Com tudo isto quero dizer que quem não vota está a dar trunfos à extrema direita.

Até para a semana

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com