Gaia está zangada

Nota à la Minuta
Quinta-feira, 19 Setembro 2019
Gaia está zangada
  • Alberto Magalhães

 

 

Ontem, o secretário-geral da ONU, Eng.º António Guterres, que eu conheço como fervoroso católico desde os nossos tempos de universidade, deixou-me totalmente surpreendido com uma declaração mais apropriada na boca de um animista, tipo índio amazónico. Disse ele, ipsis verbis: “A natureza está zangada. Não se pode brincar com a natureza, porque ela devolve o golpe”. Já só lhe falta dizer que Gaia, a Mãe-Terra, está desejosa de se livrar da incómoda e mal-comportada espécie humana.

Por seu lado, Amílcar Falcão, reitor da Universidade de Coimbra, decidiu anunciar uma medida, que ele diz ser simbólica, mas que, ao mesmo tempo, abre caminho para o ambicioso objectivo de (e cito) “tornar Coimbra a primeira universidade portuguesa neutra em carbono”. Em contrapartida, Nuno Borges, professor da Faculdade de Ciências de Nutrição da Universidade do Porto, desaconselha (em declarações ao Observador) a ligeireza de fazer uma associação directa entre o consumo de carne de vaca e as alterações climáticas.

Na Nota de 20 de Novembro de 2017, a que dei o título de “O futuro será vegan”, previa eu que “dentro de meia dúzia de anos” seríamos todos vegetarianos. “Uns por convicção ética, os outros por obrigação legal”. O reitor coimbrão acaba de dar mais um passo para esse futuro. Já há estudantes a exigirem o banimento da carne de porco.

Quanto ao Eng.º Guterres, talvez deva seguir o exemplo da sábia Greta Thunberg, passando a cruzar os mares em barco à vela, para não ferir a natureza.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com