Infelizmente, sempre a água

Crónica de Opinião
Quarta-feira, 07 Abril 2021
Infelizmente, sempre a água
  • José Policarpo

 

 

Já aqui trouxe este assunto várias vezes, mas o problema teima em subsistir para grande infortúnio de algumas pessoas que residem no nosso concelho. Para além dos constantes cortes no abastecimento de água nalguns pontos da cidade de Évora, esta semana pude constatar que nalgumas situações a água fornecida pela rede pública chega a casa das pessoas barrenta.

O concelho de Évora há muito que, convive com o problema, do fornecimento de água. Sem demagogia e dramatismo, no passado a qualidade não era a exigida e no presente são os variadíssimos cortes no fornecimento em baixa, na água que chega às toneiras dos domicílios.

Segundo julgo saber o diagnóstico já estará feito pelo município e a intervenção deverá ter custos financeiros avultados. Porém, quanto mais tempo a cidade e o concelho suportará esta situação? A qualidade de vida e o bem-estar das populações também se afere pelas questões da qualidade e do fornecimento de água, quer às pessoas, quer, igualmente, às empresas e às instituições.

Ora, se o concelho de Évora quer tornar-se competitivo e atrativo ao investimento e afastar-se dos últimos lugares dos “rankings” da qualidade vida, para além de outros aspetos, deverá, urgentemente, encontrar uma resposta cabal ao problema da água que há tanto tempo aflige e condiciona vida dos eborenses.

Assim sendo, e, porque este ano será de eleição autárquica, o candidato que deveria ganhar a presidência da câmara municipal seria aquele que, sem tibiezas e com o máximo de compromisso, apresentasse a melhor solução para a resolução do prolema da qualidade e do fornecimento da água no concelho de Évora.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com