Invocação do Robin dos Bosques

Nota à la Minuta
Quarta-feira, 29 Maio 2019
Invocação do Robin dos Bosques
  • Alberto Magalhães

 

 

Um dos heróis da minha adolescência, Robin dos Bosques, lutava contra o Xerife de Nottingham, personagem sinistro a quem o desalmado príncipe João-Sem-Terra encarregava de esbulhar os pobres camponeses da região, soltando-lhes às canelas os impiedosos cobradores de impostos.

Pois não é que a Autoridade Tributária, versão Direção de Finanças do Porto, decidiu armar-se em xerife e, alegadamente, sem dar cavaco ao príncipe, versão Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, resolveu dedicar as terças-feiras de Maio à colecta forçada na região do Porto?

Que se saiba, 14 de Maio na Trofa, 21 de Maio em Santo Tirso, e ontem em Valongo, os soldados às ordens do xerife, tratavam de interceptar condutores com impostos em dívida, e os cobradores, montados em suas barraquinhas, convidavam-nos a pagar – davam-lhes essa oportunidade – e, em não podendo pagar logo ali o real calote, sequestravam-lhes a carroça, mandando-os para casa a pé, embora vivos, pela graça do príncipe João, mui necessitado de encher os cofres do reino, para fazer face às despesas com o resgate de Ricardo Coração-de-Leão e de vários outros cruzados e banqueiros.

São estes episódios que me dão ganas de ser populista e almejar um Robin Hood, que tire aos bilionários – que se marimbam no Xerife de Nottingham, e metem o dinheiro a bom recato – para distribuir por quem precisa. Eu sei que não devo, que não é solução. Mas dão-me ganas!