Lavrov como radical louco

Nota à la Minuta
Terça-feira, 03 Maio 2022
Lavrov como radical louco
  • Alberto Magalhães

A 16 de Outubro do ano passado, Jaime Nogueira Pinto, o nosso intelectual da extrema-direita civilizada, escrevia assim, no semanário Sol: “Putin, apesar da tendência autoritária, é um homem equilibrado, sabe perfeitamente o que pode fazer e o que não pode fazer.” O seu actual companheiro no programa Radicais Livres, da Antena Um, Pedro Tadeu, digno sucessor do falecido comunista Ruben de Carvalho, escrevia, em Março do ano passado, esta enormidade: “Sobre o Holodomor há mesmo muitas e sérias dúvidas sobre se o genocídio propagandeado pelo anticomunismo realmente existiu”, defendendo assim a honra do camarada José Estaline, acusado de matar pela fome, no início dos anos trinta, seis a 10 milhões de ucranianos.

Trago estas duas citações para que se perceba que os radicais são mesmo livres, cada um na sua extrema, mas entendendo-se cordialmente e com grande proximidade de pontos de vista. Quem os ouvir percebe que quem se queixa da ditadura do pensamento único sobre a Rússia, a Ucrânia e os comunistas portugueses, não podia estar mais enganado. As asneiras escorrem livremente nos media portugueses e ainda bem.

Pena que a Antena Um não tenha a possibilidade de contratar o senhor Sergei Lavrov, ministro putinesco, que ficaria decerto a matar no ramalhete radical. Para já conseguiu atrair todas as atenções com duas afirmações arrojadas: 1º que o facto do presidente Zelensky ser judeu, não implica não ser nazi, pois até parece que o Hitler também tinha sangue judeu; 2º que os judeus moderados sabem bem que os piores anti-semitas são judeus. Digam lá se não seria uma boa aquisição? Lavrov, como radical louco.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com