Morreu Agustina Bessa Luís

Nota à la Minuta
Terça-feira, 04 Junho 2019
Morreu Agustina Bessa Luís
  • Alberto Magalhães

 

 

Agustina Bessa Luís nasceu em 1922 e morreu ontem, com 96 anos. Foi uma grande escritora e, por uma razão absolutamente estúpida, só a descobri tarde e a más horas. Puro preconceito. Durante anos, a sua figura de aparência conservadora ia de encontro, é caso para dizer com propriedade, colidia brutalmente com as minhas – nesse tempo – numerosas costelas progressistas, que o mesmo é dizer, numerosos preconceitos anti-preconceito.

Para mais, assistira no Teatro Garcia de Resende, em versão de 16 mm, ao filme de Manoel de Oliveira, Francisca, baseado na obra Fanny Owen, que Agustina escreveu para o efeito. Na lombada da edição que possuo, pode ler-se que no intenso filme, com “ritmo pausado e uma dramatização magistral, a história desenvolve-se através do predomínio das palavras sobre a acção”. Bom, basta dizer que, decorridos dois terços da projecção, olhei à minha volta e descobri que era o único espectador acordado.

Confesso, pois, que vou atrasado na descoberta de Agustina e não estou habilitado a falar sobre a sua imensa obra. Apenas digo que ando a descobri-la, desde há uns anos a esta parte e sempre com imenso gosto.

Há uma frase de Agustina que merecia estar presente em todas as escolas primárias deste país e com ela termino: “Quando aprendi a ler, no mundo fez-se luz e passei a compreender tudo”. Grande Agustina.