Nada está indefinidamente garantido!

Crónica de Opinião
Quarta-feira, 04 Março 2020
Nada está indefinidamente garantido!
  • José Policarpo

 

 

A propósito dos inúmeros casos noticiados pela comunicação social de atos muito censuráveis e, alegadamente, praticados por quem devia estar acima de quaisquer suspeitas, uma coisa é certa, se a comunidade não for mais exigente na modelagem de caracter dos seus cidadãos, não haverá Estado de Direito democrático que nos valha.

E com isto não estou a particularizar nenhum setor do Estado, pois os problemas, infelizmente, afetam todas as áreas. Já tivemos casos, nos setores da saúde, educação, justiça, segurança, defesa, segurança social, na administração regional e local. Não há, por isso, exceções. Há, contudo, não sei se muitas, pessoas muito honradas e trabalhadoras, nos vários sectores do Estado. Não confundo as árvores com a floresta. E digo arvores, porque elas são bastantes, mas não é a floresta.

Tenho para mim que, a família e a Escola, têm um papel insubstituível na modelação do caracter dos indivíduos de uma determinada comunidade politicamente organizada. Dirão os mais os mais sabichões, isso é uma evidência, não passa de um chavão. Porém, se as evidências não são praticadas pela maioria dos indivíduos que, constituem a comunidade, as entorses sociais são uma consequência inelutável.

Ora, para termos menos práticas que constituem atos ilícitos, teremos, necessariamente, de educar e formar os indivíduos moldados sob os desígnios do mérito, do trabalho, da dedicação e, sobretudo, da responsabilidade. De contrário, a maior parte, achará que a impunidade é a regra.

E, sendo a regra a impunidade, a consequência é que, os que não têm mérito, chegarão mais longe na profissão e na vida. Para além de ser uma grande injustiça, é sobretudo, a razão de termos uma sociedade, absolutamente, assimétrica. Os mais ricos, são, verdadeiramente ricos, e os mais pobres, são, irremediavelmente, pobres.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com