O discurso do Presidente

Nota à la Minuta
Segunda-feira, 26 Abril 2021
O discurso do Presidente
  • Alberto Magalhães

 

O autêntico festival asnático proporcionado pela comissão promotora do desfile da Avenida da Liberdade, durante a semana passada, serviu para relembrar que já houve tempos em que nem os socialistas eram bem-vindos na marcha pelo 25 de Abril, pois decerto não viriam por bem. A Iniciativa Liberal aproveitou o incidente (e bem) para mostrar duas coisas: primeiro, que o pretenso desfile unitário, nunca deixou de ser sectário; depois, que a direita, ao abrir mão do 25 de Abril, permitiu que assim acontecesse.

Curiosamente, ontem, o discurso de Marcelo Rebelo de Sousa acabou por dar uma resposta exemplar aos que se julgam guardiães privilegiados do nosso regime democrático, dando-se como exemplo vivo de alguém que, sendo filho de alto dirigente do anterior regime, votou a actual Constituição e foi duas vezes eleito Presidente da República, com expressivas votações.

Mas disse mais, lembrou que os capitães de Abril eram os mesmos que tinham lutado em África, isto é, que também eles são ex-combatentes, e que não podemos exigir aos que viveram no passado “que pudessem antecipar valores ou o seu entendimento, para nós agora tidos por evidentes”, mas que, tendo sido colonizadores, devemos esforçar-nos por ver também com os olhos dos que foram por nós colonizados. Nem exaltação acrítica da nossa história, nem demolição global e flagelação exagerada, eis a receita que propõe para lidar com o passado.

Quanto à democracia, ela nunca é plena ou perfeita, insistiu Marcelo. Mas, com dois milhões de pobres, a portuguesa precisa mesmo de melhorar. Um excelente discurso.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com