O novo líder dos democratas-cristãos

Crónica de Opinião
Sexta-feira, 31 Janeiro 2020
O novo líder dos democratas-cristãos
  • Rui Mendes

 

 

Em Janeiro de 2018 a revista Forbes destacou os 30 jovens europeus, com menos de 30 anos, que eram influentes nas suas áreas.

Naquela lista estava Francisco Rodrigues dos Santos, um jovem desconhecido para a maioria dos portugueses, mas já identificado como um dos jovens europeus mais influentes e mais promissores, presidindo, à data, à Juventude Popular.

No fim-de-semana passado, no 28º congresso dos democratas-cristãos, Francisco Rodrigues dos Santos foi eleito presidente do CDS/PP.

Foi um congresso com emoção. Desde logo porque foi suficientemente disputado, e em que as bases do partido preferiram eleger um verdadeiro novo líder.

Francisco Rodrigues dos Santos foi o mais aplaudido dos cinco candidatos nas intervenções iniciais, pelo que os 1449 congressistas cedo se pronunciaram sobre a sua vontade de mudança. A moção de que era 1º subscritor foi a mais votada com 46,4%, dando logo um forte sinal de que o 28º congresso do CDS seria um congresso de mudança. E assim foi.

Mais uma vez os democratas-cristãos escolherem um líder jovem.

Mais uma vez os democratas-cristãos socorreram-se do seu líder da Juventude para liderar o partido.

Francisco Rodrigues dos Santos é alguém com fibra. Traz com ele sangue novo e a defesa dos valores da direita, da democracia cristã.

Aos democratas-cristãos interessa construir um país forte, economicamente competitivo, socialmente justo, um país que olhe para as pessoas e as defenda, seja na saúde, na educação, na segurança, que tenha uma política fiscal que não penalize, mas que seja justa.

Um partido humanista, que defenda os valores da família, que valorize o trabalho, que proteja as liberdades de escolha.

Um partido que ponha em primeiro lugar a distinção pelo mérito e não outra qualquer razão. É pelo mérito que as pessoas deverão ser escolhidas.

Um partido europeísta, porque é esse o nosso espaço.

Francisco Rodrigues dos Santos é o general que o CDS precisa para liderar o partido, para o unir, para conquistar o eleitorado que tem sido perdido nos últimos actos eleitorais, e para levantar a moral ao exército de militantes.

Com a entrada de Francisco Rodrigues dos Santos para a presidência do CDS/PP fecha-se um ciclo no partido e abre-se um novo ciclo na direita portuguesa.

 

Até para a semana

 

Rui Mendes

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com