Programa Económico AD

Crónica de Opinião
Sexta-feira, 26 Janeiro 2024
Programa Económico AD
  • Rui Mendes

Estamos no período pré-eleitoral.

É o tempo de preparação da campanha e onde começam a surgir as propostas das diferentes forças políticas.

Muito do que nos é apresentado, principalmente pelos extremos, à esquerda e à direita, suscita bastantes dúvidas, porque muito do que é proposto representa elevadíssimos custos orçamentais.

Mas acreditamos que são propostas que surgem, sobretudo, para angariar votos, porque vão ao encontro dos anseios de muitos eleitores, contudo o seu impacto orçamental torna-as inviáveis, sem aplicação prática.

Neste leilão de ofertas, o salário mínimo e a subida das pensões servem, de forma particular, para apelar ao voto. Por uma razão muito simples, porque nestes dois grupos, dos que auferem o smn e dos pensionistas, estão cerca de 4 milhões e meio de eleitores, mais do que suficiente para ganhar folgadamente as eleições.

Mas o mais importante é ter a verdadeira perceção da credibilidade das propostas. Que estas não passam de promessas, mas que são propostas que estão convenientemente alicerçadas.

A AD apresentou esta semana o seu Programa Económico, o qual resulta do trabalho de um grupo de economistas, documento que é revelador do ADN do centro-direita, com o foco na criação de riqueza.

Um Programa que mostra ambição, que apresenta um vasto conjunto de reformas a desenvolver durante a legislatura, que prevê o desagravamento fiscal (IRS e IRC), que anuncia um maior crescimento da economia (2,5 em 2025 e 3,4 em 2028) suportado por um choque fiscal, que aposta na iniciativa privada e no aumento da produtividade, que realça o incremento das exportações de bens e serviços, o crescimento dos salários (mínimo e médio) e o combate à pobreza.

O Programa Económico da AD é acima de tudo um programa que propõe reformas em várias áreas, é um programa de estímulos à economia e que permitirá que o país cresça com robustez e, consequentemente, que melhore a qualidade de vida e o rendimento dos portugueses.

O Programa Económico da AD dá a conhecer os objetivos da coligação para a economia permitindo dar esperança a todo um país que à muito caiu num marasmo e num caminho de empobrecimento.

Contudo, é importante que os portugueses não se deixem ir atrás da promessa fácil de alguns, daqueles que propõem o que sabem não é viável, mas que o fazem para e só ganhar espaço político.

Nestas coisas a credibilidade faz a diferença.

Até para a semana

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com