Resultados definitivos dos Censos 2021

Nota à la Minuta
Quinta-feira, 24 Novembro 2022
Resultados definitivos dos Censos 2021
  • Alberto Magalhães

O INE acaba de divulgar os números definitivos dos Censos 2021. Sobressai o retrato de um país cada vez mais envelhecido, sobretudo com um interior cada vez mais velho e despovoado. Pela 2ª vez na história dos Censos, Portugal perdeu população, cerca de 220 mil pessoas. Apenas o Algarve e a Área Metropolitana de Lisboa viram a população crescer alguma coisinha. As assimetrias na densidade populacional são gritantes. Os sete concelhos mais populosos concentram 20% da população em 1% do território, enquanto aos 208 concelhos menos povoados, ocupando quase dois terços do país, cabem outros 20% de almas.

O concelho de Évora perdeu, em 10 anos, 5,3% da população, o que quer dizer que a cidade deixou de travar a saída das gentes rurais para o litoral. Em termos regionais o Alentejo teve as maiores perdas do país, 7%.

Portugal tem agora 23,4% de pessoas com mais de 65 anos e apenas 12,9% de crianças até aos 14 anos. Consequentemente, a situação no mundo do trabalho tenderá a agravar-se. Se neste momento, potencialmente, para cada 100 reformados só entram 76 novos trabalhadores, imagine-se o que será daqui para a frente. Apesar do aumento de 37,5% no número de estrangeiros residentes, a situação de escassez de mão-de-obra tenderá a aumentar.

Neste contexto, fará sentido o país continuar a demorar eternidades na concessão de autorizações de residência e equivalência de diplomas aos estrangeiros que procuram trabalho no país?

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com