Rio ou Rangel?

Nota à la Minuta
Segunda-feira, 08 Novembro 2021
Rio ou Rangel?
  • Alberto Magalhães

Hoje, perdoe-se-me o atrevimento, ponho-me na pele de um militante do PSD com as quotas em dia. “Até agora, as sondagens indicam que, das eleições de 30 de Janeiro, sairão resultados muito semelhantes aos de 2019. Mas atenção, é possível que os resultados sejam bem diferentes, até porque cerca de 30% dos inquiridos não sabem ou não respondem e mesmo entre os que agora respondem, haverá, como de costume, muitos abstencionistas encapotados.

Aliás, é bem possível que a abstenção se verifique mais nos eleitorados desiludidos com o destino da Geringonça, o que deveria já estar a beneficiar o PSD, não fora a guerra civil que Rui Rio diz, com alguma razão, ser absurdamente vantajosa para os socialistas, desviando atenções das suas responsabilidades na situação actual. Rui Rio fez fraca oposição à Geringonça? Talvez sim, ou talvez não fosse possível fazer melhor, dadas as circunstâncias.

O que é certo é que, de novo, as sondagens dizem que os eleitores portugueses, incluindo os que costumam votar no PSD, vêem melhor Rui Rio como primeiro-ministro, do que Paulo Rangel. Os eleitores que, ao centro, votaram PS e se desiludiram com a geringonça, poderão entusiasmar-se com Rangel, apesar de rodeado de caras próximas de Passos Coelho? E no caso, possível (mesmo que pouco provável), do PSD ser o partido mais votado, não será mais fácil a Rui Rio conseguir que o PS siga o conselho de Marcelo e o deixe governar, através de um acordo ao centro?

O que é incompreensível é Rui Rio, que em tempos promoveu a refiliação de militantes, para o partido se livrar do lastro de militantes fantasmas, vir agora propor direito de voto aos que não pagam quotas.”

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com