Tragédia em Moçambique

Nota à la Minuta
Quinta-feira, 21 Março 2019
Tragédia em Moçambique
  • Alberto Magalhães

 

 

A pobreza extrema, a corrupção e o desleixo, a sina de Moçambique e das suas gentes.

 

Balada do rio traiçoeiro, de Carlos Maria*

O rio caminhava calmo e sorridente!

Calmo e sorridente caminhava o rio,

Caminhava o rio, calmo e sorridente!

E os meninos negros à sua borda, brincavam …

E os homens as suas margens cavaram

e o milho e o algodão plantaram.

Calmo e sorridente caminhava o rio

e os birimbaus voando na noite parada

deram a grande notícia:

«O milho está maduro!

O milho está maduro! Maduuuuuuuro!»

E os homens aguçaram as catanas

aguçaram as catanas…

E mais uma vez a noite se sentou

com os homens à volta da fogueira,

mais uma vez se sentou a noite

à volta da fogueira,

confidenciando suas angústias

e esperanças.

E as nuvens do céu,

curiosas se aproximaram…

E o rio cresceu, cresceu, cresceu…

e libertou-se.

*in Poetas de Moçambique, antologia da Casa dos Estudantes do Império, Lisboa, 1962, p. 162

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com