Um país adiado

Crónica de Opinião
Sexta-feira, 07 Dezembro 2018
Um país adiado
  • Rui Mendes

 

Aproxima-se 2019 e o país está em abrandamento. Tudo se adia. Nada se projecta.

Portugal é hoje um país em permanente stress. Em que todos os dias temos um ou mais sectores em protesto.

Hoje os ferroviários estão, uma vez mais, em greve, o que quer dizer que será um dia de caos. Diz o Governo que tem disponibilidade para negociar. Mas essa disponibilidade, já se sabe, é só nas palavras.

Os portugueses que são constantemente convidados a utilizarem os transportes públicos irão apreciar, mais uma vez, a falta qualidade do que lhes é oferecido. O transporte ferroviário está num estado deplorável.

 

Na educação os professores mantêm-se firmes na intenção de lhes ser contado na íntegra o tempo de serviço. É justo. Apenas o Governo não percebe a justiça do que está em causa. A táctica é ir adiando o mais que possa. Não nos esqueçamos que é precisamente este Governo que não se cansa de apregoar sobre o termo do congelamento das carreiras. Tanta promessa e tanta falta de compromisso.

 

Na saúde a situação é cada vez mais grave. Os enfermeiros não desarmam. Os técnicos de diagnóstico e terapêutica insistem nas suas pretensões. As respostas tardam.

A forma como o anterior ministro e a actual ministra gerem o problema está a criar o caos nos serviços. Se o anterior ministro nada resolveu, a actual ministra vai pelo mesmo caminho.

A táctica de mudança de ministro não resultou.

 

Na justiça as contestações de juízes, dos oficiais de justiça e guardas prisionais põem a descoberto o quão dramático é a situação na justiça.

 

Na administração interna aparecem agora os bombeiros. E em força. Pela parte do Governo nada.

A greve dos estivadores que causa gravíssimos prejuízos, aparenta não ter fim.

E com tudo isto, parece que não se percebe a gravidade do momento que se vive. Os ministros limitam-se a dizer que os ministérios têm disponibilidade para negociar. Mas nada se passa. Resolver os problemas é o que menos interessa.

Tudo isto acontece porque este Governo veio com o discurso irreflectido, que tinha virado não sei quantas páginas, que tudo iria resolver. Parecia que o país tinha ultrapassado a fase da crise. Iludiu. E porque enganou hoje tem todos a cobrar-lhe.

Já todos percebemos que o Governo está sem margem.

Este Governo está sem gás. Sem respostas. Sem um caminho.

E é neste estado que terminamos o 2018.

 

Até para a semana

Rui Mendes

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com