Um país de pernas para o ar

Quarta-feira, 04 Maio 2022
Um país de pernas para o ar

1 – O Ivaucher dos combustíveis foi uma medida que visou compensar os consumidores face ao aumento exponencial dos produtos petrolíferos. No caso de um depósito completo, nos últimos meses, significa um custo acrescido superior a 20,0€ nos veículos ligeiros, porque nos pesados o aumento anda na ordem das centenas de euros.

Contudo, a medida que compreendia algumas virtudes para os automobilistas com menos rendimentos, mostrou-se iniqua e injusta. A compensação atribuída pelo Estado português a cada consumidor não exigia, em exclusivo, o consumo de combustíveis nos postos aderentes, bastava, para o efeito, a aquisição de qualquer bem. Ou seja, segundo entendi, houve muitos contribuintes que, sabendo desta possibilidade, compravam apenas um café e, automaticamente, beneficiaram de dinheiro que não tinham direito, pelos menos, moralmente.

2 – Segundo o noticiado na sexta-feira passada a Câmara municipal de Setúbal tratou dados pessoais de refugiados ucranianos contra a lei vigente. Será verdade? Investigue-se e proceda-se ao apuramento dos factos. Todavia, depois do que aconteceu na câmara municipal de Lisboa em que, os dados pessoais de alguns manifestantes, foram colocados e lavados ao conhecimento de representantes da Federação Russa, os municípios deviam estar todos em alerta máximo no tratamento destas questões.

Ora, impende sobre o executivo camarário de Setúbal e, todos os demais 307, o dever de cuidado e as cautelas no sentido de serem afastadas quaisquer suspeições sobre alegados favorecimentos ao Estado Russo. Se assim não o fizerem, pelo menos em alguns concelhos, fica a sensação de que o 25 de novembro ainda não produzira quaisquer efeitos.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com