União Europeia pressiona Maduro

Nota à la Minuta
Terça-feira, 05 Fevereiro 2019
União Europeia pressiona Maduro
  • Alberto Magalhães

 

 

Ontem, 19 países da União Europeia, incluindo Portugal, reconheceram Juan Guaidó, como Presidente interino da Venezuela. A UE criou, além disso, um Grupo de Contacto Internacional, composto por Alemanha, Espanha, França, Holanda, Portugal, Reino Unido, Suécia e Itália (país que ainda não reconheceu Guaidó, por oposição do Movimento 5 Estrelas) a que se juntam a Bolívia, a Costa Rica, o Equador e o Uruguai, país onde se realizará a reunião do Grupo. Objectivo: eleições livres na Venezuela.

Entretanto Nicolás Maduro estrebucha, afirma ter armado 50 mil milícias populares e ter as forças armadas firmes ao seu lado, mas vai avisando, contraditoriamente, que os EUA e a UE serão culpados caso aconteça uma guerra civil, um banho de sangue.

Guaidó, agradece os apoios internacionais, insiste na amnistia para os militares que retirarem o seu apoio Maduro e solicita urgente ajuda humanitária para um povo com fome e sem medicamentos.

Lenine, Estaline, Mao Zedong, Enver Hoxa, Fidel Castro, Mugabe, etc, etc. Todas as figuras de proa de regimes da esquerda totalitária se desculparam – e foram desculpadas – da miséria e da repressão que fizeram abater sobre os povos que juravam servir, invocando poderosos e maléficos inimigos externos. Maduro não é excepção.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com