Governo promete “mitigar impactos” da nova linha ferroviária em Évora

Governo promete “mitigar impactos” da nova linha ferroviária em Évora

Quinta-feira, 07 Fevereiro 2019
Notícias

O Governo está a tomar medidas para “mitigar os impactos” negativos do atravessamento de Évora pela nova linha ferroviária entre Sines e Caia.

A garantia foi dada pelo ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, na comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas, na sequência de um requerimento do PCP.

“Estão a ser determinadas soluções que vão enterrar mais a linha, até mais uns três metros, como sabem aquele traçado já em vala cerca de dois meses, e vai ser mais enterrada para que fique praticamente enterrada no seu atravessamento”, revelou.

O ministro indicou que “as passagens desniveladas vão ser todas repostas, não há nenhuma ligação que esteja hoje assegurada naquele território que se não seja reposta e todas vão repostas com o rebaixamento/enterramento da linha”.

Os impactos do ruído dos comboios a passar em vala “são muito mitigados, embora não totalmente”, assim como o impacto visual é menor com esta solução, acrescentou.

O ministro referiu que estão em “cima da mesa” as “soluções dois e três” para o traçado junto à cidade da futura ferrovia, dando a entender que a decisão ainda não está tomada.

Contudo, Pedro Marques indicou que o corredor dois, que apresenta uma distância intermédia em relação à cidade dos três que foram estudados, é o que tem menos impactos sociais e ambientais.

No bairro do Caeira, “a solução três tem 35 edifícios de habitação até 50 metros” da linha, enquanto a solução dois “só tem 26”, realçou, frisando que impacto no montado será de “3,3 hectares no caso da solução dois e 16,8 hectares na solução três”.

Na audição, o governante lembrou a posição assumida pela Câmara de Évora na consulta pública promovida pela Agência Portuguesa do Ambiente, assinalando que o município “não é do PS”.

O município “foi dizer na consulta pública: os corredores dois e três, ainda que apresentam impactos negativos significativos, ultrapassam os principais problemas que a entidade identificou no atravessamento da cidade”, disse.

O troço ferroviário junto a Évora da futura linha Sines/Caia obteve Declaração de Impacte Ambiental (DIA), com parecer “favorável condicionado” à construção do corredor que apresenta uma distância intermédia em relação à cidade, dos três que foram estudados.

O traçado inicialmente proposto pela IP para a nova linha ferroviária de transporte de mercadorias entre Sines e Caia (Elvas) foi contestado pela câmara, partidos, movimentos e população de Évora por passar numa zona urbana da cidade, tendo a empresa apresentado várias alternativas.

Três corredores alternativos foram alvo de Avaliação de Impacte Ambiental, cuja consulta pública e apresentação de pareceres terminou em maio: um mais próximo da cidade, um outro com uma distância intermédia e um terceiro mais afastado.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com