Hospital de Évora recusa acusações dos enfermeiros de discriminação

Hospital de Évora recusa acusações dos enfermeiros de discriminação

Quarta-feira, 23 Dezembro 2020
Alentejo

O Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) recusa as acusações dos enfermeiros que dizem que houve discriminação na atribuição o prémio de compensação atribuído aos profissionais de saúde envolvidos no combate à pandemia da covid-19.

 

Maria Filomena Mendes, presidente do conselho de administração do HESE, garante que “não há qualquer discriminação” na decisão sobre os prémios a atribuir aos profissionais da unidade hospitalar.

“Ouvidos os diretores dos serviços e os enfermeiros-chefes”, que são “os responsáveis pelas diferentes equipas”, o conselho de administração do HESE decidiu “atribuir a quem comprovadamente obedeceu aos critérios do decreto-lei que regulamenta a atribuição do prémio”, explica.

Maria Filomena Mendes adianta que receberam o prémio “206 profissionais” de saúde do HESE, de todas as categorias, por terem trabalhado “durante, pelo menos, 30 dias, de forma continuada, numa área dedicada a doentes com covid-19” da unidade hospitalar.

“Se individualmente qualquer profissional do hospital entenda que comprovadamente preencheu os requisitos e faça prova disso junto do conselho de administração”, o HESE “irá reavaliar a situação, ouvidos os diretores de serviços e os enfermeiros-chefes”, frisa.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com