Justiça: Pinto Monteiro diz que “se fosse primeiro-ministro” pediria para divulgar as escutas

Justiça: Pinto Monteiro diz que “se fosse primeiro-ministro” pediria para divulgar as escutas

Quarta-feira, 24 Outubro 2012
Nacional
O ex-Procurador Geral da República (PGR), Pinto Monteiro, defende que, se Passos Coelho e a pessoa interceptada na escuta quiserem divulgá-la, podem e devem fazê-lo.
“Se os intervenientes nas escutas autorizarem podem ser divulgadas. Mas primeiro o Supremo vai dizer se são válidas ou nulas e depois disso nada na lei obsta a que sejam divulgadas se for para defesa deles. Eu se fosse primeiro-ministro faria isso”, referiu Pinto Monteiro.
Em declarações à Rádio Renascença, Pinto Monteiro revelou que mandou as escutas de Passos Coelho para o Supremo sem as ter ouvido, porque não teve tempo para ouvir e que decidiu acreditar no pedido que lhe foi feito pela directora do DCIAP, Cândida Almeida.
O “Expresso” noticiou este sábado que Passos Coelho “foi escutado fortuitamente no âmbito do processo Monte Branco”.
O alvo da escuta terá sido um banqueiro.
O primeiro-ministro garante estar “muito consciente” das suas conversas privadas ou telefónicas, não tendo “qualquer receio” em relação às escutas em foi alvo.

Deixe um comentário

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com