Olival superintensivo em Arraiolos preocupa câmara municipal

Olival superintensivo em Arraiolos preocupa câmara municipal

Quinta-feira, 26 Novembro 2020
Alentejo

A plantação de um olival superintensivo no concelho de Arraiolos e os seus impactos no ambiente e saúde estão a causar preocupação à câmara municipal.

O município já aprovou uma tomada de posição para serem acautelados os impactos na conservação do solo, qualidade da água superficial e subterrânea, saúde pública, perda de biodiversidade e também na perda da identidade regional.

Segundo a Câmara de Arraiolos, este novo projeto agrícola vai ocupar uma área de “cerca de 190 hectares” e a rega vai ser feita a partir da albufeira do Divor, o que vai levar “ao consumo excessivo de água desta reserva”.

“Devido aos níveis reduzidos de água nesta albufeira, a empresa responsável pela plantação do olival irá, muito provavelmente, recorrer a captação de água através da utilização de furos, os quais carecem do respetivo licenciamento por parte da Agência Portuguesa do Ambiente (APA)”, assinalou.

Aludindo à utilização de “produtos fitofarmacêuticos em áreas tão extensas e nas proximidades da população”, neste caso de Igrejinha, o município disse o projeto “levanta muitas questões relacionadas com saúde pública e qualidade da água e do ambiente”.

Para a câmara, será também “gravemente comprometido” o projeto municipal para a criação de uma zona de recreio público e náutica na albufeira do Divor, cuja candidatura já foi apresentada a fundos comunitários.

A autarquia quer que sejam “acautelados os impactos na conservação do solo, qualidade da água superficial e subterrânea, saúde pública, na perda de biodiversidade e de algum modo também na perda da identidade regional”.

Nesse sentido, decidiu pedir a intervenção da Agência Portuguesa do Ambiente, Administração da Região Hidrográfica, Direção Regional da Agricultura e Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com