PCP questiona atuação da ACT em fábrica de Vendas Novas

PCP questiona atuação da ACT em fábrica de Vendas Novas

Terça-feira, 02 Junho 2020
Alentejo

O PCP questionou o Governo sobre a intervenção da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) após denúncias sobre a imposição ilegal de férias na fábrica de Vendas Novas da Gestamp, no início da pandemia da covid-19.

A pergunta, divulgada hoje pela Direção da Organização Regional de Évora (DOREV) do PCP, foi subscrita pelas deputadas comunistas Vera Prata e Diana Ferreira e dirigida ao Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Segundo as deputadas, a administração da fábrica “decidiu que os trabalhadores ficavam em casa entre os dias 23 e 27 de março” e entendeu, posteriormente, “imputar aos trabalhadores a responsabilidade daquela decisão unilateral, descontando-lhes estes dias como sendo dias de férias”.

Na pergunta ao Governo, as deputadas realçaram que a Comissão Sindical do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul (SITE-Sul) na empresa “concretizou várias denúncias junto da ACT, pedindo a sua intervenção para pôr fim ao assédio junto dos trabalhadores”.

“Contudo, a intervenção deste órgão de competência inspetiva, além de ter sido tardio, parece não ter sido orientada de forma a impedir aquele processo de assédio sobre os trabalhadores”, sublinharam as deputadas, que consideraram esta situação “inaceitável”.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com