PCP recusa críticas à integração de precários em Évora e Vila Viçosa

PCP recusa críticas à integração de precários em Évora e Vila Viçosa

Quinta-feira, 29 Março 2018
Alentejo

O PCP recusa as críticas do PS sobre os processos de integração de trabalhadores precários nas câmaras municipais de Évora e Vila Viçosa, de gestão CDU.

Em comunicado enviado à DianaFM, os comunistas dizem que as autarquias da CDU no distrito integraram mais de 200 trabalhadores precários e que, estão em curso, concursos para integrar outros.

“As acusações feitas pelo PS contra as câmaras municipais de Évora e de Vila Viçosa são falsas e em nada correspondem à verdade”, pode ler-se no comunicado.

O executivo da Direção da Organização Regional de Évora (DOREV) do PCP refere que “existe uma legislação a cumprir e um processo que tem de ser respeitado”.

“Admitimos que, pela iliteracia dos dirigentes locais do PS, não saibam que os 215 precários na Câmara e Évora de que falam, dizem respeito ao número dos que passaram nos últimos três anos pelo município, assim como sabem que nem todos têm condições para serem integrados”, acrescenta o comunicado.

Os comunistas de Évora notam que “os eleitos do PS não ousam falar da aplicação desta lei nos seus territórios”, considerando que estes “sabem que nada fazem para resolver a vida de centenas de trabalhadores”.

“Assim como as câmaras municipais de Reguengos de Monsaraz, Vendas Novas e Viana do Alentejo [de gestão PS] impedem os trabalhadores desses municípios de gozarem mais três dias de férias em 2018”, escreve o executivo da DOREV.

O PCP realça ainda que “não fosse a luta e a intervenção do PCP nada tinha sido feito” para regularizar os vínculos precários do Estado.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com