PS impõe seis condições para viabilizar orçamento da Câmara de Évora

PS impõe seis condições para viabilizar orçamento da Câmara de Évora

Quinta-feira, 14 Novembro 2019
Alentejo

São seis as condições que o PS impõe para viabilizar o orçamento da Câmara de Évora para 2020 na assembleia municipal.

O orçamento e as opções do plano para o próximo ano já foram aprovadas na câmara, mas falta a “luz verde” da assembleia municipal, onde a CDU não tem maioria, cuja próximo reunião está marcada para o dia 27 deste mês.

Em comunicado enviado à DianaFM, a concelhia de Évora do PS diz que estas condições “são apresentadas por escrito” ao presidente da câmara, Carlos Pinto de Sá, que “a elas terá também de responder por escrito”.

A primeira condição é que o Partido Socialista “não aceita viabilizar um orçamento que assenta num documento (as Grandes Opções do Plano) cheio de ataques injustos e despropositados ao PS e à sua governação local e nacional”.

O PS refere que “não viabilizará o orçamento sem ter a prévia garantia de que, até ao fim deste ano, serão cumpridos na íntegra os compromissos assumidos há um ano que possibilitaram a viabilização do orçamento atualmente em vigor”, nomeadamente a criação das áreas de reabilitação urbana nas freguesias rurais.

Os socialistas querem também que a gestão CDU apresente “propostas de taxas e derrama menos penalizadoras logo que o compromisso assumido com o PS de saída do PAEL esteja finalmente concretizada” e que anule “o aumento inaceitável, superior a 11%, do preço da água e a substitui-lo por uma atualização anual à taxa de inflação”.

O Partido Socialista exige ainda informação sobre quais as obras com que a CDU se compromete a levar a cabo em cada uma das freguesias do PS no próximo ano e qual a verba prevista para cada um dessas obras, assim como medidas urgentes para resolver o problema do lixo no concelho.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com