Reitora da UÉ diz que Cutileiro deixa legado ímpar na arte de esculpir

Reitora da UÉ diz que Cutileiro deixa legado ímpar na arte de esculpir

Terça-feira, 05 Janeiro 2021
Alentejo

A reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas, recorda João Cutileiro como um “homem cuja criatividade e originalidade marca o seu tempo e que nos deixa um legado ímpar na arte de esculpir”.

João Cutileiro, considerado um dos maiores escultores contemporâneos portugueses faleceu hoje, em Lisboa, aos 83 anos.

Doutor Honoris Causa pela Universidade de Évora em 2013, João Cutileiro interveio no espaço público com projetos de arte urbana marcada pelo experimentalismo, abordando temas como o intimismo, o erotismo e o amor, diz a reitora.

“A obra de João Cutileiro vai ficar para a posteridade”, refere Ana Costa Freitas, sublinhando a “coragem e a determinação do escultor de Évora” que revolucionou a estética da estatuária nacional e que subverteu os cânones da estatuária do Estado Novo, de que é exemplo a escultura de D. Sebastião, em Lagos, no ano de 1970.

A reitora da UÉ recorda ainda “o gesto de boa vontade do escultor” que, em 2019, doou uma parte significativa do seu espólio para a criação da Casa/Atelier João Cutileiro, a qual albergará residências artísticas, workshops e atividades de investigação  e será coordenada conjuntamente pela Câmara Municipal de Évora, Universidade de Évora, e Direção Regional de Cultura do Alentejo, o que “demonstra o seu empenho no envolvimento da comunidade na cultura e nas artes”.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com