Roberto Grilo e Ceia da Silva disputam presidência da CCDR Alentejo

Roberto Grilo e Ceia da Silva disputam presidência da CCDR Alentejo

Quinta-feira, 08 Outubro 2020
Alentejo

Falta menos de uma semana para os presidentes de câmara e junta de freguesia, vereadores e deputados municipais do Alentejo e da Lezíria do Tejo escolherem o novo presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR).

Estão na corrida ao cargo dois candidatos: o atual presidente da CCDR do Alentejo, Roberto Pereira Grilo, de 48 anos, e o atual presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, António Ceia da Silva, de 57 anos.

“A condição de poder ser o único candidato independente que não é apoiado por qualquer partido e que não teve nenhuma máquina partidária a recolher subscrições foi para mim determinante”, afirma Roberto Pereira Grilo, em entrevista à DianaFM.

António Ceia da Silva, também em entrevista à DianaFM, recusa o “rótulo” de candidato do PS e diz que “a independência não é ser ou não ser de um partido”, mas sim da forma como se exercem os lugares”.

“Se há maior prova da minha independência e isenção da forma como estive na vida foram estes 12 anos que estive na Entidade Regional de Turismo e também mais alguns anos na Região de Turismo de São Mamede”, realça.

Na entrevista à DianaFM, Roberto Pereira Grilo indica que pretende dar continuidade ao trabalho que tem feito na CCDR do Alentejo, sublinhando que “não há novas competências” no organismo.

“É executar em parceria com o território e com todos os atores aquela que é uma estratégia, que já encontra até aprovada, para o horizonte 2030. Eu não quero fazer nada de novo, obviamente, que há inovações a introduzir, que são objetivos programáticos que serão apresentados, mas não é para fazer diferente”, adianta.

Já António Ceia da Silva lamenta que, ao longo dos anos, “a preocupação única” da CCDR do Alentejo, que “é importante”, tenha sido “os fundos comunitários”, referindo-se ao seu adversário e a “tantas outras pessoas” que passaram pelo organismo.

“A CCDR tem de ser muito mais do que isso. Tem de ser o grande órgão de coordenação das políticas regionais e tem de ter uma grande ligação às autarquias”, frisa, dando como exemplo a candidatura de Évora a Capital Europeia da Cultura em 2027 “tem de ser uma aposta” da comissão de coordenação.

O novo presidente da CCDR do Alentejo vai ser eleito no dia 13 por 1.263 autarcas.

As entrevistas aos dois candidatos podem ser ouvidas novamente na rádio no domingo, às 13:30, ou aqui e aqui.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com