Sindicato dos Enfermeiros acusa hospital de Évora de discriminação

Sindicato dos Enfermeiros acusa hospital de Évora de discriminação

Quarta-feira, 23 Dezembro 2020
Alentejo

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) acusa o hospital de Évora de discriminação.

Em causa está o prémio de compensação atribuído aos profissionais de saúde envolvidos no combate à pandemia da covid-19.

“Não é compreensível nem aceitável esta escolha e seleção que se traduz numa discriminação dos enfermeiros do serviço de urgência geral. De 50 enfermeiros apenas 6 receberam”, diz o sindicato, em comunicado enviado à DianaFM.

Segundo SEP, o Hospital do Espirito Santo de Évora “já procedeu ao pagamento” do prémio, que já “é muito restritivo”, mas “limitou ainda mais a sua aplicabilidade”, nomeadamente em relação aos enfermeiros do serviço de urgência geral.

“O conselho de administração do hospital, com a escolha e seleção que fez, discriminou os enfermeiros do serviço de urgência geral face a outros enfermeiros de outros serviços de urgência da região”, pode ler-se no comunicado.

Além disso, sublinham, o HESE “discriminou também estes enfermeiros face a outras profissões que também exercem no próprio serviço de urgência do hospital”.

“Isto é, no mesmo serviço há enfermeiros que receberam e outros não, e, no mesmo serviço há outras profissões (médicos) em que todos receberam ao contrário dos enfermeiros”, refere o sindicato.

“Não está em causa a justeza de quem recebeu, o que está em causa é a inadmissível seleção de profissionais que o conselho de administração fez”, acrescenta.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com