Universidade de Évora encara relatório do TdC com “serenidade”

Universidade de Évora encara relatório do TdC com “serenidade”

Sexta-feira, 21 Setembro 2018
Alentejo

A reitora da Universidade de Évora (UÉ) encara o relatório de auditoria do Tribunal de Contas (TdC) com “serenidade”, considerando que a “análise não poderá ser alheia ao contexto económico-financeiro dos últimos anos”.

Ana Costa Freitas começa por lembrar que a auditoria “reporta-se ao ano civil de 2012”, garantindo que, desde esse ano, “já muitas das recomendações indicadas pelo TdC estão implementadas e outras em vias de implementação total.

Contudo, a reitora admite que a universidade “não concorda” com algumas das conclusões.

“São emitidas conclusões sobre a degradação da situação financeira da universidade e o aumento de despesas com pessoal, sem qualquer enquadramento no contexto nacional, nomeadamente no que concerne o défice de financiamento do Estado ao Ensino Superior ou o aumento imposto por medidas legislativas em matéria de eliminação (justa) dos cortes salariais que vigoraram durante anos e de descongelamento (justo) de salários, entre outros, sem o correspondente acréscimo de transferência por parte do Estado”, adverte.

Ana Costa Freitas reafirma que “o orçamento distribuído às Instituições de Ensino Superior Públicas é manifestamente insuficiente”, pedindo “apenas os 3,8 milhões em falta”, porque pretende “pagar as progressões” e “tornar permanentes os vínculos precários”.

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com