Utentes do lar de Reguengos de Monsaraz tiveram acompanhamento médico

Utentes do lar de Reguengos de Monsaraz tiveram acompanhamento médico

Quarta-feira, 23 Setembro 2020
Alentejo

Os utentes do lar de Reguengos de Monsaraz onde em junho surgiu um surto da covid-19 tiveram sempre acompanhamento médico e de enfermagem.

No Parlamento, José Robalo, presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo, assinalou que dos 18 óbitos relacionados com este surto 15 ocorreram no Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) e que três utentes do lar faleceram na instituição.

“Houve sempre um acompanhamento médico e de enfermagem. O que pode ter havido foi um agravamento rápido da situação, que a certa altura não foi fácil de controlar”, afirmou esta manhã o responsável.

José Robalo negou que tenha existido qualquer recusa por parte de médicos em prestar os cuidados de saúde no lar, ressalvando que não foi levantado qualquer processo disciplinar.

O surto no lar da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva (FMIVPS) vitimou mortalmente 18 pessoas (16 utentes e uma funcionária do lar e um homem da comunidade).

Comments are closed.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com